Obras da Usina nuclear de Angra 3. Foto: Divulgação/PAC

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, confirmou na semana passada que, além de Angra 3, o Brasil terá uma nova usina nuclear indicada no Plano Decenal de Energia (PDE) 2031. Os estudos em busca de um local para a construção do projeto já começaram.

O mapeamento para a localização de novos sítios nucleares é conduzido pelo Ministério de Minas e Energia, em parceria com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), da Eletrobras.

A confirmação de que uma nova usina será indicada pelo governo já no próximo PDE ocorreu em vídeo enviado por Albuquerque à cerimônia de entrega do prêmio Honra ao Mérito Nuclear, organizado pela Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (Abdan). O ministro encontrava-se na Escócia, participando da Conferência do Clima (COP 26).

O Plano Nacional de Energia 2050, no qual a EPE indica tendências de longo prazo, publicado no ano passado, prevê que o país poderia ter de 8 gigawatts (GW) a 10 GW em capacidade instalada de energia nuclear nos próximos 30 anos. Segundo a EPE, o volume inclui a nova usina mencionada pelo ministro.

Agenda regulatória 2022-2023

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realiza na próxima sexta-feira, às 10 horas, audiência pública virtual para discutir a Agenda Regulatória para o biênio 2022-2023. O evento será transmitido ao vivo pelo canal da Aneel no YouTube.

A Agenda Regulatória traz a relação dos temas passíveis de regulamentação ou estudo por parte da agência no período de dois anos. A agenda proposta para o biênio 2022-2023 contém 80 atividades (prioritárias e ordinárias) com entregas para 2022 e ainda 17 atividades indicativas previstas para 2023.

A expectativa é de que sejam publicadas 40 novas resoluções normativas em 2022. Interessados podem acessar documentos e obter informações no espaço da Audiência Pública nº 030/21, no site da Aneel.