Reforma administrativa: Câmara vai aprovar projeto ainda em 2021, avalia Sabino
Cúpula da Câmara dos Deputados. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Após uma série de reuniões, o líder do PDT na Câmara, Wolney Queiroz, estima que a bancada deve conseguir entre 18 e 19 votos contra a PEC dos Precatórios na análise em segundo turno.

Segundo o presidente da sigla, Carlos Lupi, dos 15 votos do PDT que haviam sido favoráveis à PEC na última quarta-feira, 11 serão revertidos. Contudo, o partido decidiu não fechar questão, o que permitiria punir quem votasse de forma diferente do orientado. “Quando se tem uma decisão, a questão já está mais do que esclarecida. Isso foi conversado de um a um, não tem necessidade de ter um fechamento. Houve um consenso de todos para acompanhar nesse sentido”, disse o cacique.

Enquanto isso, quatro deputados do partido devem manter sua posição por estarem de saída do partido. Três deles estão com o processo de expulsão em andamento: Alex Santana (PDT-BA), Flávio Nogueira (PDT-PI) e Subtenente Gonzaga (PDT-MG).

Em reunião com a bancada na noite de ontem (8), o líder já havia decidido orientar contra a PEC como forma de apaziguar a divergência com a executiva nacional do partido e garantir a candidatura de Ciro Gomes à presidência da República. O posicionamento foi confirmado em reunião da executiva nacional na tarde desta terça.

O presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL) aposta em conseguir um quórum maior para compensar os votos perdidos.

A mudança de voto de parlamentares do PDT também desobriga que Lira cumpra o acordo para que os precatórios do Fundef sejam pagos em três parcelas.


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.