Foto: Frederico Brasil / Futura Press / Estadão Conteúdo / CP

Nesta terça-feira (28) o senador Tasso Jereissati anunciou que não irá mais disputar as prévias do PSDB para a candidatura à presidência da República em 2022. Agora o apoio de Jereissati vai para o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

Na reunião com membros do partido realizada na tarde desta terça, Jereissati afirmou que vê em Eduardo a juventude e o dinamismo necessários para o Brasil. “Temos que sair da polarização que divide o país, mas precisamos ter uma visão pragmática, de como chegar lá. Conversando com o Eduardo, vemos uma coisa muito clara, cerca de 80% das executivas estaduais do PSDB ou estavam com Eduardo, ou estavam comigo”, disse o senador.

“Não sou candidato nas prévias do PSDB. Mas isso não quer dizer que não estou na luta. Estou na luta, junto com todos os nossos companheiros”, reforçou. A disputa no partido está equilibrada, entre os nomes fortes existem apostas nos dois candidatos.

Membros da executiva nacional avaliam que as movimentações recentes colocaram o governador gaúcho em segundo lugar. Outros membros, contudo, apostam que o governador de São Paulo, João Doria, ainda se beneficia do alcance nacional que obteve no governo de São Paulo.

Eduardo Leite agradeceu o apoio de Tasso Jereissati e afirmou que quer unir o partido e o país. “Vou me dedicar ao máximo para estar à altura da biografia que você tem na vida pública e que forma esse nosso projeto”, disse Leite.

“Que nós possamos levar a população brasileira esse mesmo sentimento e trazermos o Brasil para o centro, não um centro que não se posiciona, que é em cima do muro”, defendeu. “É um centro que se coloca entre o povo, busca entender as razões do jogo, e principalmente, tem consciência da missão principal que é, em um país de abismo social imenso, promover inclusão, combater a pobreza, estar a serviço as pessoas que mais precisam”

Alguns membros do partido presentes no evento apoiaram a decisão de Jereissati e demonstraram torcida por Leite. Já outros, como o senador Plínio Valério, retiraram o apoio. Segundo Valério, ele deve ficar ao lado do ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, por questões regionais como as preocupações com a Amazônia e a dificuldade que o partido deve encontrar no Amazonas. Historicamente, o PSDB tem baixa adesão eleitoral no Estado.

Na quarta-feira (29), Eduardo Leite vai se reunir com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, um dos principais nomes do partido. As prévias do partido serão realizadas no dia 21 de novembro.

Colaborou: Daniel Marques Vieira


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.