Roberto Jefferson. Foto: Felipe Menezes/PTB Nacional

A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã desta sexta-feira (13) o ex-deputado e presidente do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson.

A prisão preventiva foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, após pedido da PF. Leia a decisão.

Ele também é alvo de mandado de busca e apreensão de armas e munições, além de computadores, tablets, celulares e outros dispositivos eletrônicos. Além disso, o ministro determinou o bloqueio das redes sociais do político.

Roberto Jefferson é um dos investigados no inquérito que apura a existência de organização criminosa com a finalidade de atentar contra a democracia e o Estado de Direito.

De acordo com Moraes, o ex-parlamentar usa o Twitter para “publicar vídeos e declarações, onde exibe armas, faz discursos de ódio, homofóbicos e incentiva a violência, além de manifestar-se, frontalmente, contra a Democracia e as Instituições essenciais à manutenção do regime democrático de direito”.

A delegada da PF que pediu a prisão argumenta que, após o início das investigações, Roberto Jefferson “passou a reiterar divulgações de ofensas de variadas formas em mídias de comunicação, ao mesmo tempo em que incita seguidores a agirem ilicitamente, em violação às regras do Estado Democrático de Direito, indicando inclusive uma crescente agressividade no discurso”.