Randolfe Rodrigues: Bolsonaro já é o centro das investigações na CPI
Senador Humberto Costa (PT-PE); vice-presidente da CPIPANDEMIA, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP); presidente da CPIPANDEMIA, senador Omar Aziz (PSD-AM); relator da CPIPANDEMIA, senador Renan Calheiros (MDB-AL). Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Como adiantou a Arko aos seus clientes, a CPI da Covid decidiu não quebrar o sigilo bancário da rádio Jovem Pan. Por mirar uma empresa antiga e reconhecida, a ação levantava questões sobre interferência na liberdade de imprensa. O próprio presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), avaliou também que o pedido não tinha relação com a investigação em curso. O relator, Renan Calheiros (MDB-AL), disse que o pedido foi um equívoco. “De minha parte, nada que possa respingar na liberdade de expressão vai ter a minha aceitação”, disse.

Por outro lado, a CPI aprovou requerimentos para quebra de sigilo de jornalistas donos de blogs bolsonaristas acusados de disseminarem desinformação sobre a covid-19. Portanto, são investigados os sites Terça Livre, Crítica Nacional, Conexão Política, Brasil Paralelo e Senso Incomum.

No total, a CPI aprovou 25 requerimento de quebra de sigilo, incluindo o sigilo telefônico, fiscal, bancário e telemático do líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR) e do deputado Luís Miranda (DEM-DF).

Já o requerimento para convocação do ministro da Defesa, Braga Netto, não foi votado. Houve um impasse entre os senadores, que decidiram dar mais tempo para que seja tomada uma decisão.


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.