Rachadinha, apesar de crime, é prática comum na política brasileira - Análise Arko
Fotos: Marcos Corrêa/PR

A nova pesquisa do instituto Datafolha, realizada entre ontem (7) e hoje (8), aponta que a avaliação negativa (ruim/péssimo) do governo Jair Bolsonaro cresceu seis pontos percentuais em relação a 11 de maio, atingindo 51%. A avaliação positiva (ótimo/bom), por sua vez, ficou estável em 24%. E o índice regular caiu seis pontos (30% para 24%).

Nota-se que o crescimento da avaliação negativa é idêntico à queda na avaliação regular, o que sugere uma parcela da sociedade que antes considerava o governo regular passou a rejeitá-lo.

Segundo o Datafolha, quem mais desaprova o governo são as mulheres (56%), jovens com faixa etária de 16 a 24 anos (56%) e pessoas com ensino superior completo (58%).

Por outro lado, quem mais aprova Bolsonaro são pessoas com faixa etária acima de 60 anos (32%) e empresários (58%).

O instituto ressalta que Jair Bolsonaro perdeu popularidade em praticamente todos os setores sociais. A desaprovação ao governo caiu somente entre quem possui renda elevada – acima de 10 salários.

De acordo com a sondagem, no estrato com renda mensal de até 2 salários, que representa 57% da população, foi onde a perda de popularidade de Bolsonaro foi mais acentuada.

A queda da avaliação positiva nesse segmento, que é o mais afetado pela perda de renda, indica que a recuperação da economia ainda não é sentida no dia-a-dia dos trabalhadores informais. Também sugere que a rodada do auxílio emergencial tem contribuído para o presidente apenas preservar seu nicho de eleitores.


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real além de relatórios, Lives Exclusivas e um Evento Especial com figuras notáveis da nossa rede de contatos.