Foto: Agência Brasil

O BNDES informou na semana passada que foi assinado contrato com o consórcio Angra Eurobras NES – Tractebel Engineering (líder) e Empresários Agrupados Internacional – para a estruturação do projeto de retomada e conclusão das obras da usina nuclear de Angra 3, no estado do Rio de Janeiro. O consórcio definirá a projeção dos investimentos necessários à conclusão da usina, o cronograma detalhado da obra e a especificação de como se dará a contratação de uma ou mais construtoras para a execução dos trabalhos.

Iniciada em 1984, a construção da unidade pela Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras, foi interrompida duas vezes – a última em 2015, quando mais de 60% do empreendimento já estava concluído. A entrada em operação de Angra 3 está prevista para o fim de 2026, com capacidade para gerar mais de 10 milhões de MWh por ano.

Juntamente com Itaipu, a Eletronuclear é uma das subsidiárias da Eletrobras, que se encontra em processo de privatização, após aprovação da MP nº 1.031/21 pelo Congresso. O governo criará nova estatal para assumir a parte da União na binacional, com o Paraguai, e ter o controle da empresa do setor nuclear.

Recorde com sol e vento

Na semana passada, as fontes eólica e solar bateram recorde na geração de energia na Região Nordeste, segundo dados do Operador Nacional do Sistema (ONS) Elétrico. Na terça-feira a energia eólica (dos ventos) registrou pico de 10.856 MW às 23h44, o suficiente para atender a 96,1% da demanda do subsistema do Nordeste naquele momento. O último recorde ocorrera em 26 de maio, quando 10.612 MW foram produzidos.

No caso da geração solar, o fenômeno se deu em menor escala: foram gerados 681 MW médios, o equivalente a 6,4% da demanda do Nordeste. Segundo nota do ONS, “o número indica um crescimento de 2,1% em comparação ao último recorde, registrado no dia 24 de maio, quando foram produzidos 667 MW médios na mesma região”.

A energia eólica corresponde a 10,6% da matriz energética nacional e a expectativa é que, no fim deste ano, alcance 11,1%. A energia solar representa 2%, com expectativa de atingir 2,5% até o fim do ano.