Reforma Tributária: não temos compromisso com erros, diz Guedes
Ministro de Estado da Economia, Paulo Roberto Nunes Guedes. Foto: Anderson Riedel/PR

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou, durante a Comissão Temporária da Covid-19, no Senado, que o auxílio emergencial deve ser prorrogado por mais três meses. Guedes disse ainda que o objetivo é que, após essa prorrogação do auxílio, com o controle da pandemia, o beneficiário volte para o Bolsa Família.

De acordo com Guedes, os governadores de todos os estados estão dizendo que já terão vacinado toda a população adulta até o fim de outubro. “Alguns estão anunciando final de agosto, começo de setembro, é corrida saudável”, afirmou.

O ministro disse que se a pandemia continuasse fora de controle, continuaria a renovar o auxílio. No entanto, ele trabalha com a perspectiva e expectativa de controle.

Além disso, Guedes anunciou a criação do Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), pago pelo governo, e o de Qualificação (BIQ), custeado pelo empresário, com o objetivo de promover a qualificação do jovem no mercado de trabalho. Segundo o ministro, as iniciativas devem gerar mais 2 mil empregos. “Podemos reduzir bastante o desemprego”, disse.