Foto: Beth Santos/Secretaria-Geral da PR

A Aneel publicou, no fim de maio, o edital do Leilão de Transmissão nº 01/21 para a contratação de mais de cinco lotes de linhas de transmissão, totalizando 515 quilômetros, além de subestações.

Os empreendimentos, com prazo de conclusão de 36 a 60 meses, cortarão seis estados: Acre, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo e Tocantins. Os investimentos previstos chegam a R$ 1,3 bilhão, com a criação de 3 mil empregos diretos.

O leilão está marcado para o dia 30 deste mês. No dia 20 de maio, a agência reguladora realizou um workshop on-line com a participação de 259 interessados para esclarecimentos técnicos sobre os principais pontos do certame.

Abertura de inquérito

O presidente da Funai, Marcelo Xavier, transformou o processo de licenciamento ambiental pra a construção da linha de transmissão de energia em alta tensão entre Manaus e Boa Vista em investigação policial. A seu pedido, a Polícia Federal abriu inquérito para investigar lideranças indígenas e nove servidores da Funai. A alegação é de que eles estariam atuando para colocar “barreiras e entraves à aprovação” do projeto, que se arrasta há mais de uma década.

Dos 721 quilômetros previstos no traçado da rede, a ser construída na área de domínio da BR-174, 125 quilômetros cortam a terra dos Waimiri Atroari, onde vivem 2.100indígenas. Os Waimiri não são contra a obra, mas exigem que sejam consultados sobre a construção da linha e cobram medidas para reduzir seu impacto em suas terras.