Presidência temporária do Mercosul é do Brasil até o final do ano
Foto: Reprodução

Está marcada para o dia 08 de junho uma reunião extraordinária entre os ministros da Economia e das Relações Exteriores dos países do Mercosul. Recentemente, os membros apresentaram propostas de modernização e visão de futuro para bloco. No centro da discussão está a redução da Tarifa Externa Comum (TEC). A ideia brasileira é uma redução homogênea de 20% para todos os itens. A proposta da Argentina é zerar linhas tarifárias escolhidas, concentrando o corte em bens intermediários.

Em entrevista para o Valor Econômico, o secretário de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Lucas Ferraz, explicou que uma das principais divergências é que a proposta brasileira sugere um corte linear, em todos os setores, para não haver escolha de vencedores e perdedores.

Ferraz também falou sobre a possibilidade de solução ser a liberação dos países do bloco para redução das tarifas conforme preferirem. De acordo com ele, essa solução não acabaria com a TEC, uma vez que cerca de 35% dos produtos já têm alíquotas diferentes por conta das listas de exceções e regimes diferenciados.

Outro tópico que faz parte da agenda de modernização do Mercosul é a liberação dos membros para negociarem com outros países e blocos separadamente. A proposta é defendida pelo Uruguai e pelo Brasil. Os impasses existentes entre os integrantes do bloco são sobre temas sensíveis para o processo de integração regional. Os desfechos da reunião extraordinária de junho serão importantes para o futuro do bloco.