Brasília - O Banco do Brasil vai fechar agências bancárias, ampliar o atendimento digital, lançar um plano de aposentadoria incentivada e propor redução de jornada de trabalho para parte dos funcionários (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

No primeiro trimestre de 2021, o Banco do Brasil (BB) registrou um crescimento de 31,9% no lucro líquido contábil, em comparação com o mesmo período do ano passado, quando o lucro foi de R$ 3,199 bilhões. De janeiro a março de 2021, no total, o rendimento foi de R$ 4,226 bilhões, de acordo com balanço divulgado na última quinta-feira (6).

O lucro líquido ajustado do banco, que exclui receitas e gastos extraordinários, foi de R$ 4,913 bilhões, 44,7% maior que no primeiro trimestre de 2020. Além disso, o indicador que mede a lucratividade dos bancos, o retorno sobre o patrimônio líquido, também registrou melhora de 3% em relação ao registrado no ano passado.

A receita com prestação de serviços somou R$ 6,9 bilhões e teve queda de 3% se comparado ao mesmo período de 2020.

A carteira de crédito ampliada do BB teve alta de 4,5%, somando R$ 758,3 bilhões no primeiro trimestre de 2021. Já a inadimplência superior a 90 dias atingiu 1,95% no fim de março. Apesar de registrar leve alta em relação ao fim de dezembro, quando estava em 1,9%, o índice está abaixo dos 3,17% registrados em março do ano passado.