Foto: Isac Nóbrega/PR

A nova pesquisa PoderData apontou uma redução na avaliação negativa (ruim/péssimo) do governo Jair Bolsonaro. O índice, que era de 55% na sondagem realizada entre 12 a 14 de abril, caiu para 51% no levantamento realizado de 26 a 28 de abril. A avaliação positiva (ótimo/bom), por sua vez, ficou estável em 26%. O índice regular oscilou de 18% para 19%, dentro da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A queda na avaliação negativa do governo pode ser atribuída à noda rodada do pagamento do auxílio emergencial.

De acordo com o PoderData, o presidente é aprovado majoritariamente pelos homens (40%), na faixa etária de 45 a 59 anos (42%), habitantes da região Sul (54%) e entre quem ganha acima de 10 salários mínimos (44%).

Por outro lado, quem mais desaprova o presidente são os brasileiros com faixa etária de 16 a 24 anos (67%), os que têm o ensino superior como grau de instrução (66%), habitantes da região Nordeste (74%) e com renda mensal de 2 a 5 salários mínimos (62%).

Novamente chama atenção que, apesar da maioria da opinião pública desaprovar Jair Bolsonaro e ele estar submetido a uma constante oposição por parte dos principais meios de comunicação e formadores de opinião, o presidente tem conseguido manter intacta sua base social de apoio.

O desafio, agora, será sobreviver politicamente à CPI da Covid, que terá uma ampla cobertura da mídia e poderá trazer fatos negativos que poderão ser explorados contra o governo.