Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Durante live da Arko Advice realizada na sexta-feira, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, confirmou a realização do leilão da rede 5G para julho e assegurou que até a metade do próximo ano as 27 capitais das unidades da federação terão o serviço “stand alone”, o 5G “puro”.

A implantação da nova tecnologia vai ocorrer de forma escalonada nos próximos anos até alcançar a inclusão de todo o país, em 2028. Essas metas, segundo o ministro, constam do edital com as regras para o leilão, ainda em análise no TCU.

Em resposta a uma pergunta formulada pelo CEO da ArkoAdvice, Murillo de Aragão, sobre o impacto que a nova tecnologia provocará nas empresas, no agronegócio e no monitoramento ambiental, o ministro listou uma série de vantagens.

Disse que a tecnologia 4G trouxe inúmeros benefícios para as pessoas, mas o impacto maior do 5G será para as empresas. Em relação ao agronegócio, observou que os ganhos poderão levar ao crescimento do setor em 20% a cada ano.

Quanto ao monitoramento ambiental, observou que o desmatamento poderá ter acompanhamento mais efetivo abrangendo áreas extensas, caso da Amazônia. O monitoramento poderá ser feito em tempo real, com a utilização de vários drones simultaneamente com um único controle, o que hoje não é possível. A rede 5G também possibilitará o trabalho interligado das forças de segurança em tempo real.

O edital com as regras do leilão determina contrapartidas de investimentos aos vencedores da disputa, como levar tecnologia 4G às localidades em que o serviço é precário ou inexistente, atendendo escolas, postos de saúde etc.