Foto: Divulgação/Huawei

A Huawei prepara-se para recuperar o espaço perdido durante a discussão sobre se poderia ou não disputar o fornecimento de tecnologia para a rede 5G no Brasil. Para superar o desgaste e a exposição negativa a que esteve submetida nos últimos meses, a empresa chinesa busca se colocar de uma forma positiva diante do mercado. A companhia acelerou o ritmo de lançamento de novos produtos e prepara sua estreia em computadores.

Além disso, pretende construir 12 laboratórios de desenvolvimento de tecnologia da nova rede em várias cidades brasileiras. A cantora Ivete Sangalo foi escolhida para atuar na campanha publicitária que a empresa vai lançar pela primeira vez no Brasil, um dos dez mercados mais relevantes para a companhia fora da China.

Nos laboratórios serão desenvolvidas novas tecnologias para o uso da fibra óptica, em parceria com faculdades e instituições de ensino. O processo começou por Niterói (RJ), mas cidades do Piauí, de Minas Gerais, Ceará, Amazonas e Tocantins estão na lista.

A Huawei já tem uma fábrica em operação em Sorocaba (SP) e constrói outra em Campinas (SP). Agora prepara-se para fornecer equipamentos 5G para as teles, de olho no leilão para a escolha dos supridores da rede, previsto para meados deste ano.

“Queremos acelerar a transformação digital no Brasil e fazer novas parcerias com as operadoras”, afirma Daniel Dias, gerente de Desenvolvimento do Ecossistema da Huawei Brasil. Ele disse que a empresa vai acelerar os investimentos em novos produtos, como tablets, computadores, monitores e notebooks.

Regras do 5G

O Ministério das Comunicações definiu em portarias as obrigações a serem obedecidas pelas empresas que vencerem o leilão do 5G. Para expandir a conexão no Brasil, o ministério mapeou todas as localidades com mais de 600 habitantes que devem receber, no mínimo, o sinal de 4G, além de 48 mil quilômetros de rodovias federais estratégicas para o escoamento da produção agropecuária, industrial e mineral. Pelas regras estabelecidas pelo ministério, também haverá investimento estimado em R$ 1,5 bilhão para atender a cerca de 10 milhões de habitantes da Região Norte.