A arrecadação federal com impostos atingiu, em fevereiro de 2021, o melhor desempenho arrecadatório para o mês desde o ano 2000 – início da série histórica. A arrecadação atingiu, o valor de R$ 127.747 milhões, acréscimo real (corrigido pelo Índice de preços no consumidor – IPCA) de 4,30% em relação a fevereiro de 2020. Os dados foram divulgados pela Receita Federal nesta segunda-feira (22).

No período acumulado de janeiro a fevereiro de 2021, a arrecadação alcançou o valor de R$ 307,9 bilhões, representando um acréscimo pelo IPCA de 0,81% em relação ao mesmo período do ano anterior – ou seja, mesmo com a correção do Índice, o valor teve um crescimento de 0,81% quando comparado a 2020. Este foi o melhor desempenho do primeiro bimestre desde o início da série histórica.

O resultado pode ser explicado, segundo o Ministério da Economia, principalmente pelo recolhimento extraordinário de 6,5 bilhões dos Imposto de Renda Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (IRPJ/CSLL) em janeiro e fevereiro de 2021.

O IRPJ/CSLL é um imposto do governo federal sobre o lucro da empresa não optante pelo Simples Nacional – sistema de tributação simples voltado para micro, pequenas e médias empresas.

“As medidas emergenciais de estímulo à economia brasileira surtiram um ótimo efeito, nosso cenário econômico se recuperou bem da primeira onda da pandemia”, afirmou o ministro da economia, Paulo Guedes.

No entanto, segundo Guedes, a economia brasileira sofrerá um impacto no próximo mês de abril em decorrência da nova onda de lockdowns.

“Mesmo com resultados positivos contabilizados no início de 2021, a economia nacional vai sentir em abril o impacto da onda de fechamentos da qual estamos vivendo. Portanto, o foco agora é na vacinação em massa para que o trabalhador possa retomar suas atividades de forma segura”, disse o ministro.

Foto: Marcos Correa/PR

Além da arrecadação recorde, o Ministério da Economia já havia divulgado dados positivos para a economia nacional referentes ao início de 2021. Em janeiro de 2021, o país gerou 260.353 postos de emprego; o resultado é o melhor para o mês desde o início da série história em 1992 – ano em que o dado começou a ser contabilizado, ou seja, há 30 anos. No mesmo período de 2020, a geração de empregos havia ficado em 117.793.