Vacinação na aldeia indígena Umariaçu, próximo a Tabatinga, Amazonas.

O Ministério da Saúde prevê a chegada de quase 30 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 em março deste ano. Destas, 22,7 milhões serão do Instituto Butantan/Sinovac, 3,8 milhões da AstraZeneca/Oxford e 2,9 milhões vias consórcio Covax Facility. 

Além disso, o órgão assinou um contrato com o laboratório Precisa Medicamentos/Bharat Biotech, responsáveis pela vacina indiana Covaxin. Foram acordadas 20 milhões de doses acordadas – segundo o ministério, 8 milhões devem estar à disposição da pasta neste mês. 

O imunizante do Butantan será entregue ao Ministério da Saúde em remessas semanais ao longo de março. O cronograma recebido pela pasta estima que as vacinas serão escalonadas entre os dias 3 e 31. 

Assim que as doses são entregues ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), o Ministério da Saúde organiza a divisão de forma proporcional e igualitária aos estados e Distrito Federal. Posteriormente, as doses são enviadas às Unidades da Federação (UF), responsáveis por distribuir as vacinas a todos os municípios brasileiros. 

Desde o início da campanha de vacinação, em 18 de janeiro, a pasta já coordenou a distribuição de mais de 17 milhões de doses – dentre todos os laboratórios. O andamento da vacinação no Brasil pode ser acompanhado pela plataforma LocalizaSUS. 

Até esta sexta-feira (05), de acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil contabilizou 260.970 mortes em decorrência do novo coronavírus.