Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

Independente se o vencedor da eleição para a presidência da Câmara dos Deputados for Arthur Lira (PP-AL) ou Baleia Rossi (MDB-SP), o presidente da República, Jair Bolsonaro, deve estar protegido de um eventual impeachment. Neste fim de semana, ambos os candidatos disseram publicamente, que não devem apoiar um processo de afastamento do presidente.

Baleia Rossi, que vem se firmando como um candidato de forte oposição a Bolsonaro, declarou em entrevista à Folha de S. Paulo que o momento é de busca pela estabilidade. Para ele, o foco do combate à covid-19 não deve ser desviado.

“O impeachment é o extremo do extremo do extremo que está na nossa Constituição. Precisamos hoje de estabilidade”, afirmou.

Do outro lado, está Arthur Lira, que tem no Planalto seu mais forte aliado. Nas redes sociais, em resposta ao rival, Lira reforçou sua oposição sobre o assunto:

“Sempre digo que ninguém pode se comprometer ou torcer por um impeachment. Ele é um remédio institucional amargo. E é fruto de uma conjunção de fatores e não uma decisão unilateral do presidente da Câmara”, disse.