O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) registrou lucro líquido de R$ 8,73 bilhões no terceiro trimestre de 2020. O desempenho, apresentado nesta quinta-feira, 12, foi fortemente influenciado pelo resultado obtido com participações societárias, entre elas: a alienação de ações de Vale, que contribuiu com um lucro líquido de R$ 4,0 bilhões; a equivalência patrimonial de empresas coligadas, com R$ 1,2 bilhão; e a receita com dividendos e JCP, de R$ 938 milhões. Além de lucro financeiro, o BNDES procurou no período oferecer retorno social positivo para o país, por exemplo, com as medidas emergenciais para proteção de empregos e vidas ante a crise decorrente da pandemia da COVID-19. Por essas medidas, que somaram R$ 136,6 bilhões, já foram apoiadas 267 mil empresas, que empregam 8,8 milhões de pessoas.

No acumulado de janeiro a setembro, o BNDES registrou lucro líquido de R$ 13,7 bilhões. Esse desempenho foi impactado pela oferta pública de ações da Petrobras, realizada em fevereiro, que contribuiu com um lucro líquido de R$ 4,1 bilhões, e atenuado pela constituição de provisão para risco de crédito de R$ 1,8 bilhão (R$ 1,0 bilhão líquido de tributos). O resultado do mesmo período de 2019 (R$ 16,5 bilhões) tinha sido influenciado positivamente pela operação de incorporação de Fibria pela Suzano (R$ 5,7 bilhões líquido de tributos), além de alienação de ações de Petrobras, Vale e Rede.

Houve reversão bruta de R$ 469 milhões em provisões no terceiro trimestre, decorrente da evolução positiva de créditos provisionados. Nos nove primeiros meses do ano a despesa com provisão para risco de crédito foi de R$ 1,8 bilhão, impactada pela revisão de ratings de empresas dos setores mais afetados pela pandemia do COVID-19. O produto de intermediação financeira atingiu R$ 3,9 bilhões no terceiro trimestre de 2020, o que representa um aumento de 31% em comparação com o segundo trimestre.

O BNDES também apresentou melhora do resultado recorrente, que atingiu R$ 2,43 bilhões no terceiro trimestre, ante R$ 1,32 bilhão do trimestre anterior. O resultado recorrente exclui a volatilidade trazida pela carteira de renda variável e pelos ajustes na provisão para risco de crédito.

No acumulado do ano, observa-se estabilidade das despesas com pessoal na comparação entre os nove primeiros meses de R$ 1,502 bilhão (2019) para R$ 1,505 bilhão (2020). O Plano de Estímulo à Aposentadoria (PEA), implantado no segundo semestre deste ano, recebeu a adesão de 137 empregados, resultando num dispêndio total de R$ 43 milhões. A adesão representa para o BNDES uma redução de 5,2% no quadro de pessoal e uma redução de 6,8% na folha de pagamentos, correspondendo a uma economia anual recorrente de R$ 100 milhões.