A Embraer anunciou nesta quinta-feira (3) a demissão de 2.500 funcionários nas fábricas no Brasil. Serão 1.600 desligamentos em adesões ao Plano de Demissões Voluntárias (PDV) e mais 900 por dispensa para ajuste do quadro de funcionários. Segundo a empresa, a medida foi tomada devido aos impactos causados pela pandemia da COVID-19, e ao cancelamento da parceria com a Boeing.

Não foi informado o número de desligamentos por unidade. Segundo a empresa, os cortes foram feitos com o “objetivo de assegurar a sustentabilidade da empresa e sua capacidade de engenharia”. No início da pandemia, a Embraer adotou medidas como férias coletivas, reduções de jornadas de trabalho e licenças remuneradas.

Nos primeiros seis meses de 2020, a empresa registrou prejuízo de R$ 2,95 bilhões.