Foto: Divulgação/Portos e Navios

A indústria petrolífera em solo norte-americana se prepara a chegada do furacão Laura nesta terça-feira (25), o que levará a produção a ser diminuída a nível próximo do verificado à época do Katrina, em 2005, e interrompendo o refino do combustível no Texas e na Louisiana.

A tempestade está prevista para ganhar força rapidamente e se transformar em um grande furacão com ventos constantes de 185 km/h por volta de quinta-feira (27), fazendo com que a costa superior do Texas receba um furacão de categoria 4, segundo o serviço de meteorologia da DTN, que fornece informações vitais e acertadas sobre agricultura, energia e clima.

Na última segunda-feira (24) a produção de 1,5 milhão de barris por dia já havia sido reduzida em até 82% – par critério de comparação, a paralisação da produção offshore no Golfo do México em 2005 foi de 90%. Refinarias também paralisaram o processamento de pelo menos 1,8 milhão de bpd de petróleo, o que representaria 10% da capacidade total dos EUA, levando à disparada do preço da gasolina em mais de dez pontos percentuais.

O fenômeno climático recairá sobre uma região que representa 45% da capacidade total de refino de petróleo nos EUA e 17% da produção nacional deste., segundo informações da Administração de Informação sobre Energia (AIE).