Foto: GeoPol Intelligence

A Argentina afirmou nesta terça-feira (4) que chegou a um acordo com três grupos credores para reestruturar 65 bilhões de dólares em dívida soberana não paga, potencialmente ajudando o país a sair de um default prejudicial e a revitalizar a economia atingida por uma recessão.

O Ministério da Economia do país disse em comunicado que ajustará algumas datas de pagamento e cláusulas legais para abrandar o que foi apresentado como sua proposta “final” no início de julho, sem aumentar o pagamento de principal ou de juros.

A Argentina caiu em seu nono default soberano em maio e está passando por uma contração econômica estimada em 12% este ano, na esteira de dois anos seguidos de recessão.

“Hoje, chegamos a um acordo que permitirá que membros dos grupos de credores e outros detentores apoiem a proposta de reestruturação da dívida da Argentina e concedam à Argentina um alívio significativo da dívida”, afirmou o ministério.

Os credores incluem o Ad Hoc Group, o Comitê de Credores da Argentina e o Exchange Bondholder Group, um trio que se uniu no mês passado para se opor a uma oferta anterior do governo, provocando um impasse que ameaçava inviabilizar um eventual acordo.

O Ministério disse que estenderá o prazo para os credores aceitarem formalmente o novo acordo até 24 de agosto. O prazo deveria expirar nesta terça-feira.

(Agência Brasil)