Foto: Marc Bruxelle/Thinkstock

O Brasil pode se beneficiar da assinatura do acordo de livre comércio entre o Mercosul e o Canadá, de acordo com um estudo da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). O país poderá ter um ganho de US$ 7,8 bilhões com receita de exportações agropecuárias.

O documento da CNA aponta a relevância do acordo para o setor, ajudando na tomada de decisões e no posicionamento do país. Carnes, cereais, farinhas e preparações, frutas e complexo soja são os setores com maior potencial de serem beneficiados com o acordo. No caso das carnes, o aumento da receita pode chegar a US$ 1,4 bilhão por ano.

Os cereais, farinhas e preparações podem ter alta de US$ 771,9 milhões nas vendas ao Canadá. O milho é o produto com maior capacidade de aumento de receita (US$ 324,0 milhões), enquanto o arroz, que já possui alíquota de importação zerada no país norte-americano, teria ainda potencial explorável no curto prazo. A soja (grão e farelo) poderá ter um aumento de US$ 703,9 milhões, apesar da concorrência com os Estados Unidos.

A CNA conclui que, além de gerar impactos positivos nas exportações brasileiras, o acordo Mercosul-Canadá pode expandir as fronteiras comerciais do bloco sul-americano com mercados importadores de alimentos, bebidas e bens agropecuários.

Em 2019, o comércio de produtos agropecuários com o Canadá registrou movimentação de US$ 628,7 milhões. As exportações brasileiras de carne de frango in natura, castanhas de caju e milho tiveram alta de US$ 21,3 milhões.

Artigo anteriorDestaques da agenda do dia
Próximo artigoServidores federais com filhos vão poder trabalhar em home office
Escritor, Jornalista e Cientista político, com foco em Accountability, formado pela Universidade de Brasilia. Pós-graduado em Relações Institucionais pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC). Especialista em Processo Legislativo Federal e Ética e Administração. Exerce a função de analista político na Arko Advice, com dez anos de experiência, atua com o desenvolvimento de estratégias, mapeamento de stakeholders, consultoria e na elaboração de análises setoriais.