Foto: ANGOP/Divulgação

Os 27 líderes da União Europeia chegaram na madrugada da última terça-feira (21) a um acordo inédito para um fundo econômico – serão destinados 750 bilhões de euros para superar os estragos causados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

No intuito de resolver a queda de cerca de 8% da economia europeia em 2020, o pacto ajudará a Europa a se reerguer, sobretudo Itália e Espanha, da profunda recessão ocasionada pela Covid-19. A quantia mobilizada será emprestada nos mercados financeiros e distribuídos em forma de subsídios e empréstimos aos países membros.

Para fazer concessão aos países “frugais” do bloco – Holanda, Áustria, Dinamarca e Suécia – o valor dos subsídios será uma dívida comum entre os 27 integrantes, não somente do país beneficiado, e com a redução de 500 bilhões para 390 bilhões de euros.

O fator pressa foi fundamental na decisão tomada pela cúpula, uma vez que as contrações econômicas previstas para 2020 são terríveis. Some-se a isso a eficiência europeia em conter o coronavírus ante os poucos esforços norte-americanos no sentido de conter a pandemia.