tcdb374 Transporte de cavaco na Ferrovia Norte Sul. Viagem de Palmas-TO a Anápolis-GO. Dezembro 2016 Foto: Tina Coêlho/Terra Imagem

Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) mostra que na maior parte das empresas as perdas passam de 60% do faturamento

Quatro meses depois do início da pandemia do novo coronavírus, o setor do transporte ainda está registrando queda na demanda. Em junho, 74,6% das empresas do setor declararam que a quantidade de serviço segue caindo. Os dados dados são da Pesquisa de Impacto no Transporte – Covid-19, da Confederação Nacional do Transporte (CNT), que consultou 858 empresas de carga e de passageiros.

60% das transportadoras também responderam que tiveram redução no faturamento, sendo que mais da metade dessas relatam queda de mais de 60% nos ganhos. 34% das empresas precisaram recorrer ao crédito rotativo – a linha com as taxas de juros mais altas do mercado.

Por outro lado, 21% das empresas pesquisadas relataram que a demanda continuou igual ou aumentou.

A expectativa das empresas segue baixa: 80% das empresas já se preparam para queda de faturamento em julho.

“Entendemos que, após quatro meses de pandemia, se as iniciativas governamentais durante a crise não refletirem, na prática, o socorro emergencial efetivo às empresas, muitas transportadores irão encerrar suas atividades e segmentos, como o urbano de passageiros, podem entrar em colapso, o que certamente comprometerá o funcionamento e o abastecimento das cidades brasileiras, além da retomada da atividade econômica”, alertou Vander Costa, presidente da CNT.