Foto: Divulgação/Facebook

O Facebook anunciou ontem (8) que removeu contas e perfis relacionados a assessores da família Bolsonaro. A rede social informou que as investigações são a respeito de “comportamento inautêntico coordenado no Brasil a partir de notícias na imprensa e referências durante audiência no Congresso”.

Ainda segundo o Facebook, as ações operadas por essas páginas atuam para “para enganar os outros sobre quem eles são ou sobre o que estão fazendo”, por motivos políticos, ideológicos ou comerciais. Durante as investigações, foram encontradas ligações de pessoas ligadas ao PSL e funcionários de Anderson Moraes, Alana Passos, Eduardo Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Jair Bolsonaro.

A ação da rede social contra comportamento inautêntico coordenado atingiu páginas no Canadá, Estados Unidos, Ucrânia e Equador. A medida foi tomada após o Facebook perder grandes anunciantes, que pressionam a rede social por ações concretas para impedir fake news, discurso de ódio e desinformação.