Foto: Lukasz Cynalews/Agência Gazeta

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recebeu carta aberta de 239 cientistas de 32 países, solicitando que o órgão reconheça o “potencial significativo” de propagação área do novo coronavírus. A carta, que foi publicada na página da Sociedade de Doenças Infecciosas da América, da Universidade de Oxford, aponta que os vírus são liberados durante a exalação, conversa e tosse, representando risco de exposição a distâncias superiores a 2 metros de indivíduos infectados.

O texto diz que “existe um potencial significativo de exposição por inalação a vírus em gotículas respiratórias microscópicas (microgotas) a curtas e médias distâncias (até vários metros, em ambientes fechados e sem ventilação), e defendemos a utilização de medidas preventivas para mitigar esta via aérea de transmissão”.

O texto lembra que organismos internacionais e nacionais concentram suas orientações na lavagem das mãos, na manutenção do distanciamento social de 2m e nas precauções contra as gotículas – procedimentos que, de acordo com o texto, são “apropriados, porém insuficientes para fornecer proteção contra microgotas respiratórias portadoras de vírus liberadas para o ar por pessoas infectadas”.

(Agência Brasil)