Foto: Yasin Akgul / AFP

O temor de uma segunda onda do coronavírus deve desafiar as commodities e trazer desconfiança para o mercado. Após semanas com bons resultados do controle de contagio da Covid-19, as autoridades chinesas anunciaram, no último domingo (14), 57 novos casos, incluindo 36 contágios locais em Pequim. Esse é o maior registro de novos casos do país nos últimos meses. A China, o Japão e o Irã também registraram números que levantam uma preocupação.

No último final de semana, com o alto número de contágio, Pequim isolou 11 bairros. O temor de uma segunda onda da doença pode significar novas medidas de contenção, impactando as economias.

O número de novos casos nos Estados Unidos também causa preocupação. Especialistas afirmam que, com as aglomerações decorrentes dos protestos pelo assassinato de George Floyd, o mercado teme a antecipação de uma segunda onda americana.

Já foi registrado queda nos preços do petróleo por crescentes temores dessa possível onda do novo coronavírus. Hoje (15), o petróleo Brent chegou a recuar 0,41 dólar, ou 1,06%, a US$ 38,32 por barril, às 8h20 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caiu 0,75 dólar, ou 2,07%, a US$ 35,5 por barril.