Foto: Agência Senado

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse que o programa de crédito emergencial para que pequenas e médias empresas mantenham trabalhadores sofrerá alterações. Campos Neto participou nesta segunda-feira (1) de audiência pública virtual do Congresso Nacional.

O presidente do BC disse que o motivo é “um volume do desembolso pior do que o esperado”. Dos R$ 40 bilhões previstos, apenas foram liberados R$ 1,9 bilhão. Atualmente, a medida beneficia empresas que faturam entre R$ 360 mil a R$ 10 milhões por ano. Deverão ser incluídas agora empresas com faturamento bruto anual em 2019 entre R$ 10 milhões e R$ 50 milhões. Além disso, o programa será prorrogado por mais dois meses.

A expectativa é que haja um impacto adicional total de R$ 10 bilhões. O BC projeta o volume total do programa em R$ 15,5 bilhões.