Foto: Cristiano Mariz

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, decide nesta sexta-feira sobre a divulgação do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, na qual o ex-ministro Sérgio Moro alega ter ficado claro interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

Em sua live nesta quinta-feira, Bolsonaro voltou a afirmar que não houve pedido de interferência na Polícia Federal durante a reunião. “Tem um dado momento que eu critico a inteligência da PF, das Três Forças Armadas e também uma pequena crítica à Abin”, afirmou.

Bolsonaro pediu para que Celso de Mello não divulgue o inteiro teor da gravação. “Tem particularidades ali de interesse nacional”, afirmou. Segundo Bolsonaro, “tem dois pedacinhos de 15 segundos que é questão de política externa e não pode divulgar”.