Foto: UNRIC.org

De acordo com matéria deste sábado (16) do jornal francês Le Monde, os Serviços Secretos Belgas se inquietam há muitos anos com a situação da embaixada de Bruxelas, cuja reforma foi paga pela China face à sede da Comissão Européia. Posto de observação almejado no centro do poder europeu, a embaixada, chamada “Dar Malta” está localizada em um “bunker‘ de quatro setores que abriga a Sede da Comissão Européia, bem atrás do Quartel Geral do Conselho da União Européia (UE).

Desde 2007, instalada num prédio de nove andares ultramoderno, reformado pela China, a Delegação de Malta aloja também a Representação do País junto à UE e um Consulado. O endereço é ímpar e de prestígio. No entanto, a localização ideal teria também uma outra explicação, de acordo com os Serviços Secretos Belgas.

Desde o início de 2010, a segurança do Estado Belga acusa essa embaixada de abrigar meios técnicos instalados pelos serviços secretos chineses com fim de espionar as instituições europeias. Uma atividade que poderia, segundo a informação belga, ainda durar até hoje. A informação foi transmitida ao Ministério das Relações Exteriores da Bélgica por Alain Winants, chefe dos Serviços Secretos do Reino,até 2014.

Interrogado pelo “Le Monde”, o porta-voz do Ministério se limitou a declarar que mantinha a maior confidencialidade sobre o conteúdo dessas notas e de ações decorrentes, sem desmentir a informação.