Foto: Ministério da Defesa

Utilizando um contingente maior do que o da Segunda Guerra Mundial, as Forças Armadas destinaram 29 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica para as ações de combate ao novo coronavírus, sendo 800 profissionais da saúde.

No efetivo de aproximadamente 390 mil militares das Forças Armadas, 1.813 foram infectados e sete faleceram, proporção 10x maior que o contágio total do Brasil. O militar de mais alta patente vítima da Covid-19 foi um coronel-militar.

A FA adotou algumas medidas de monitoramento da doença, como a instalação de termômetros em instalações militares, capazes de medir a temperatura a uma distância de cinco centímetros, semelhantes aos dos aeroportos.

Há 102 embarcações e 45 aeronaves das Forças Armadas auxiliando no combate ao novo coronavírus. Algumas das principais ações são o transporte de alimento para a aldeia Ianomami de Matucará (AM), descontaminação de hospitais na Bahia e no Mato Grosso, desinfecção sanitária no metrô de Recife e em locais de grande fluxo de pessoas, bem como o transporte de equipamentos hospitalares e doações de equipamentos de proteção.