Foto: Reprodução/AGU

A Advocacia-Geral da União (AGU) pediu nesta sexta-feira (8) que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), reconsidere a decisão que suspendeu o decreto de nomeação e posse do delegado Alexandre Ramagem como novo diretor-geral da Polícia Federal (PF). Ao suspendeu a nomeação, Moraes atendeu a pedido feito pelo PDT.

Na decisão, Moraes citou declarações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, que acusou o presidente Jair Bolsonaro de tentar interferir politicamente na PF. A AGU argumentou que não há provas da suposta interferência. Bolsonaro, desde a exoneração de Moro, nega que tenha pedido para o então ministro intervir em investigações na PF.