Foto: Yves Herman / Reuters

Grande parte dos países-membros da União Europeia protocolou um pedido para que o órgão executivo do bloco suspenda as regras que tornam as companhias aéreas obrigatoriamente responsáveis por reembolsar o valor total das passagens canceladas por conta da pandemia do novo coronavírus.

O pedido defende que as companhias aéreas não têm condições de reembolsar os passageiros por conta da crise econômica que enfrentam, tendo em vista que várias dessas empresas entraram em colapso com a suspensão dos voos. A sugestão é que em vez do reembolso sejam oferecidos vouchers que poderão ser utilizados no futuro, para proteger os direitos dos passageiros.

A UE autorizou a França a realizar um empréstimo de 7 bilhões de euros para a companhia aérea Air France, como forma de conter os impactos econômicos da pandemia e evitar que a empresa quebre. Dos 7 bilhões de euros, 4 bilhões são empréstimos bancários garantidos a 90% pelo Estado francês e 3 bilhões de empréstimos diretos do Estado. Em contrapartida, a empresa irá melhorar a rentabilidade e promover soluções para reduzir as emissões de CO².