Foto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello decide, nesta segunda-feira (27), se autoriza o pedido de investigação feito pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, a respeito das declarações do agora ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro contra o presidente Jair Bolsonaro. Moro pediu demissão do cargo na sexta-feira (24), alegando que o presidente exonerara horas antes o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, para poder interferir politicamente no órgão.

O pedido de abertura de inquérito abrange também o próprio Moro. Na peça, Aras quer apurar se foram cometidos crimes de falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução de justiça, corrupção passiva privilegiada, denunciação caluniosa e crime contra a honra (veja o passo a passo do processo no STF na página 4).