Foto: Reprodução/Hub i4.0

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) avaliou, por intermédio de dados da balança comercial da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, que as vendas externas do agronegócio brasileiro totalizaram US$ 21,4 bilhões no primeiro trimestre deste ano e permaneceram estáveis em comparação ao mesmo período do último ano (-0,4%). O principal destino das exportações foi a China (US$ 7,2 bilhões), com 34% do total, seguida por União Europeia e Estados Unidos. Destaque, nesse período, para a forte demanda por produtos como soja, carne bovina, carne de frango e algodão em bruto.

Os principais produtos exportados no primeiro trimestre do ano foram: soja em grãos, carne bovina in natura e carne de frango in natura, responsáveis por 44% das vendas externas. Apenas a soja totalizou US$ 6,2 bilhões, um incremento de 9,4% na comparação com o mesmo período de 2019. UE, China e Tailândia contribuíram, em conjunto, com um aumento de US$ 494,5 milhões, no primeiro trimestre de deste ano em comparação ao ano passado. Exportações de carne bovina subiram 29,9%, (US$ 1,6 bilhão) e carne de frango teve faturamento de US$ 1,5 bilhão, com elevação de 7% – com contribuição da demanda chinesa.

Destaque também para o algodão bruto que teve a segunda maior variação positiva nas vendas do primeiro trimestre de 2020. A CNA aponta que a commodity foi bastante demandada pela Ásia, onde a China foi a responsável pelo maior aumento nas compras do produto com variação positiva de 119,1%. Por sua vez, o milho registrou baixa nas exportações, de 51%, e passa por um período de aquecimento no mercado interno e de alta redução dos estoques, levando o produtor a optar por manter sua mercadoria no Brasil, ao invés de exportar¨.

No que diz respeito às frutas, suas exportações tiveram queda de 9% em receita ante o primeiro trimestre de 2019, por conta da diminuição dos embarques para a União Europeia.

Petróleo supera a soja
O petróleo bruto ultrapassou a soja em grãos pela primeira vez na história do comércio exterior brasileiro, figurando como o principal produto exportado pelo Brasil. Desde novembro de 2019, somando o óleo bruto e derivados, o petróleo vem aparecendo como o produto mais importante na pauta das exportações brasileiras; e neste trimestre está na primeira posição na pauta exportadora nacional. A China foi o destino principal das exportações brasileiras de petróleo (53,8%) a exemplo do que ocorre quanto à soja e aos minérios de ferro.

No primeiro trimestre, as vendas externas de petróleo somaram US$ 6,318 bilhões, com uma alta de 18,6% em comparação ao mesmo período de 2019. Ou seja, foi responsável por 12,8% das exportações totais brasileiras e por 53,9% nos embarques da indústria extrativa nacional.

O Brasil também exportou petróleo para a Índia (US$ 529 milhões), Estados Unidos (US$ 428 milhões), Espanha (US$ 321 milhões) e Portugal (US$ 364 milhões).