Foto: Osnei Restio/Prefeitura de Nova Odessa

A Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, realizou um novo estudo sobre o projeto de vacina contra o novo coronavírus, que está em fase avaliativa pela comunidade científica. Segundo o estudo, foram feitos avanços promissores contra o vírus.

Quando o coronavírus se liga ao corpo humano, ele ataca as células ACE-2 para se reproduzir e atacar o organismo, o que gera sintomas como febre, dor no corpo e dificuldade de respirar. A partir de uma proteína-espinho os pesquisadores induzem imunidade contra o vírus.

O projeto de vacina foi batizado de PittCoVacc (Pittsburgh Coronavirus Vaccine), e foi revisado e criticado por pesquisadores de outras universidades em um processo chamado de peer review (revisão dos pares). Os testes foram realizados em ratos e, após duas semanas de aplicação, os anticorpos surgiram. A vacina agora será testada pela Food and Drug Administration (como se fosse a Anvisa).