Foto: Yasin Akgul / AFP

Um levantamento realizado pela UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento), aponta que o fluxo de O Investimento Estrangeiro Direto (IED) subiu 26% no Brasil, enquanto o fluxo global sentiu uma queda de 1%, tendo recuado de US$1,41 trilhão em 2018 para US$ 1,39 trilhão em 2019.

No Brasil, a entrada do IED passou de US$ 50 bilhões para US$ 75 bilhões. Com o aumento, o país subiu três posições no ranking a respeito do destino de IED no mundo, ultrapassando Hong Kong, Reino Unido e Holanda, ficando apenas atrás dos Estados Unidos, China e Singapura, em quarta posição.

De acordo com o relatório, parte do resultado é devido ao programa de privatização do país, que teve início em julho de 2019. A venda da TAG (Transportadora Associada de Gás do Norte e Nordeste) foi destaque no rendimento, algo em torno de US$ 8,7 bilhões ou R$ 33 bilhões (segundo o câmbio da época).

Compartilhe