O senhor acredita no avanço da pauta das reformas mesmo sendo este um ano de eleições?
Acredito que sim, que a gente consiga avançar tanto na Administrativa quanto na Tributária.

Qual das duas tem maior possibilidade de conclusão este ano? A Reforma Tributária ou a Reforma Administrativa?
Acredito que a Tributária esteja na frente, porque já está sendo tratada desde o ano passado. E a Administrativa deve chegar nas próximas duas semanas. Esse é apenas um problema de timing. Não precisamos esperar uma chegar para tratar da outra. Mas acredito que as duas têm muita chance de avançar este ano.

Como a Câmara vai debater a questão da epidemia de coronavírus e seus efeitos na saúde pública e na economia?
Com relação a essa epidemia, nossa intenção é criar um grupo, uma comissão na Câmara, que possa acompanhar junto com o Ministério da Saúde o passo a passo, o que a pasta está fazendo, como é que o Brasil está se preparando e quais ações o governo vem promovendo. A intenção é que o Parlamento possa estar inteirado do assunto e participando.

Compartilhe