Foto: Arquivo/Agência Brasil

O BNDES anunciou na quarta-feira passada a realização de oferta pública global de suas ações ordinárias da Petrobras com direito a voto. A oferta tem valor de até US$ 5,6 bilhões (R$ 23 bilhões, pela cotação cambial do dia) e envolve a alienação de até 9,86% das ações ordinárias da empresa.

As ações preferenciais de propriedade do banco são ofertadas no Brasil e no exterior. Por isso a operação foi registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e na Securities and Exchange Commission, nos Estados Unidos. A medida era esperada desde o ano passado, quando o banco anunciou o plano de se desfazer de sua carteira bilionária de participações em empresas.

A venda de ações da estatal é parte da estratégia do governo Bolsonaro de reduzir o papel da União na economia do país.O início das negociações das ações na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), deve ocorrer em 7 de fevereiro, em conformidade com o regulamento. A data máxima da negociação expira em 6 de agosto.

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, falou sobre a operação de venda das ações no Fórum Econômico de Davos, na Suíça: “Estamos colocando a mercado a posição das ações votantes: R$ 23,5 bilhões é o valor a que pode chegar e a oferta-base é de R$ 19,6 bilhões.”

O total dos papéis inicialmente ofertados, incluindo os negociados na Nyse (bolsa de Nova York) sob a forma de ADS, poderá ser acrescido em até 20%, ou seja, o correspondente a até 122.367.116 ações.

Compartilhe