Foto: Divulgação/PPI

A secretária especial do PPI, Martha Seillier, revelou, em sua entrevista ao site Poder 360, que o resultado do leilão de petróleo da cessão onerosa, realizado em 6 de novembro de 2019, foi positivo, já que permitiu a arrecadação de R$ 69,9 bilhões em bônus. O valor contribuiu para reduzir o déficit público.

As duas áreas que ficaram de fora, Sépia e Atapu, serão oferecidas outra vez, possivelmente ainda este ano, mas em condições diferentes.Na semana passada, o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse que o governo deve reduzir o valor do bônus de assinatura ou diminuir o percentual de partilha do óleo com a União nesses dois campos.

De acordo com Rodrigues,a meta é tornar Sépia e Atapu mais atraentes para os investidores estrangeiros. O governo também pretende acabar com o direito de preferência concedido à Petrobras na exploração do pré-sal. A avaliação técnica é de que esse direito distorce a concorrência e afasta competidores.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, mencionou a retomada dos leilões no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, na semana passada.

Produção recorde

A produção de petróleo no Brasil alcançou a média de 2,785 milhões de barris/dia em 2019, com crescimento de 7,7% ante o volume obtido no ano anterior, de 2,587 milhões de barris diários, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Assim, a produção anual do país superou, pela primeira vez, a marca de 1 bilhão de barris, totalizando 1,017 bilhão de barris.

Na quinta-feira, o diretor-geral da ANP, Décio Oddone, destacou o recorde: “Poucos países têm produção de 1 bilhão de barris por ano. O resultado mostra a pujança da recuperação da indústria brasileira de petróleo e gás e o potencial do pré-sal.”

Compartilhe