Foto: Remo Casilli/Reuters

O Papa Francisco determinou, nesta terça-feira (17), o fim do “segredo pontifício” em casos de abusos sexuais, a maior forma de sigilo dentro da Igreja Católica. O segredo protegia pedófilos, silenciava vítimas e impossibilitava as investigações da Justiça. 

Outra alteração feita pelo Papa foi o critério de pornografia infantil, que antes eram consideradas imagens de até 14 anos, mas agora, passa a ser pornografia infantil imagens de menores de 18 anos. 

Anteriormente, o Vaticano não obrigada bispos e outros superiores religiosos a denunciar crimes sexuais à polícia. Pelo contrário, orientava para que os líderes não procurassem as autoridades.

Compartilhe