AFP

O Banco Mundial divulgou o relatório anual “Doing Business”, que mensura o impacto das leis, regulações e burocracias das empresas nos países. O Brasil ocupava a 109º posição em 2018 e caiu para 124º em 2019. O relatório analisa o período entre os meses de maio dos dois anos.

Dentre os 10 critérios de avaliação, estão: o número de dias utilizados na abertura de empresas, no pagamento de impostos, na obtenção de alvarás de construção, na conexão com a rede elétrica e no registro de uma propriedade, além da obtenção de crédito e execução de contratos e resolução de insolvência. O Brasil melhorou em 3 dos 10 itens. A abertura de empresas teve seu prazo reduzido, bem como o registro de propriedades e a resolução de insolvências na Justiça. 

O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, comentou que a equipe econômica objetiva entrar na lista dos 50 primeiros países até o final do mandato de Jair Bolsonaro. “Isso não é algo impossível. É algo factível e pé no chão. A Índia avançou mais de 60 posições nos últimos 3 anos. É algo factível, o que precisa é de determinação, foco e vontade política”, afirmou. 

Compartilhe