Reprodução
Spread the love

Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo, revelou em sua coluna que a campanha sobre a Amazônia que o Governo Federal pretendia veicular internacionalmente por meio da rede de televisão CNN Internacional foi parcialmente recusado.

Em mensagem enviada à Secom (Secretaria de Comunicação), a emissora alega ter tomado a decisão baseada em diretrizes internacionais visando a se blindar contra reações políticas e legais. A maior polêmica é o uso da palavra “soberania” na peça publicitária, o que daria a entender, segundo a CNN, que se tratava de um viés político. A peça, contudo, será exibida nos EUA e no Brasil, sendo vetada somente na Europa e demais continentes.

Fábio Wajngarten, secretário de comunicação do governo Bolsonaro, confirmou e lamentou a decisão da emissora norte-americana, alegando “censura por parte da CNN Internacional, emissora que se diz a favor da democracia”.