YM YIK (EFE)

         Com enorme penetração na China e planos de expansão no país, o HSBC se vê em uma situação para lá de desconfortável: apesar de ter sido fundado há 154 anos em Shanghai, sua relação com Hong Kong é histórica. Cresceu e desenvolveu-se ali. Assim, após meses de manifestações antigoverno, o gigante financeiro decidiu ocupar as páginas de jornais da ex-colônia britânica pedindo por paz e uma solução que respeite “o Estado de direito”.

Pois desagradou a ambos, Hong Kong e Pequim.

Há inclusive a suspeita de que o governo de Xi Jinping esteja pressionando a direção do banco para demitir funcionários que sabidamente declarem apoio às manifestações.

Compartilhe