Getty Images

Um dia após a intensificação da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, as 500 pessoas mais ricas do mundo perderam em conjunto, nesta segunda-feira (5), 2,1% de seu patrimônio, equivalente a US$110 bilhões. 

Este foi o chamado “efeito yuan”, em relação a desvalorização da moeda chinesa, o yuan, que causou a maior queda de 2019 nos mercados de ações. O maior perdedor foi Jeff Bezos, fundador da Amazon, que teve a perda de US$3,4 bilhões. No entanto, Bezos se mantém como homem mais rico do mundo. 

Apesar da queda ter sido significativa, os 500 bilionários acumularam um aumento de 11% de sua riqueza no primeiro semestre deste ano. Na terça-feira (6), o yuan estabilizou seu valor, permitindo que os magnatas começassem a recuperar seus recursos. 

 

Compartilhe