Marcos Oliveira/Agência Senado

O Ministério da Economia anunciou, nesta segunda-feira (22), um novo contingenciamento orçamentário após a revisão das premissas macroeconômicas. O corte chegou no valor de R$ 1.442,8 bilhão. A reserva de emergência já havia sido reduzida nos últimos meses e diminuiu o impacto do contingenciamento, mas não foi suficiente para manter a previsão de empenho até o fim do ano. 

O Secretário Especial de Fazenda, Waldery Rodrigues Júnior, afirmou durante a apresentação do Relatório Bimestral de Receitas e Despesas, que sem os R$ 809 milhões que ainda estavam disponíveis na reserva, o contingenciamento aos órgãos do Executivo no 3º bimestre de 2019 seria de R$ 2.251,8 bilhões. 

Segundo a Secretaria, a entrada de receitas caiu R$ 5.956,6 bilhões, enquanto as despesas obrigatórias reduziram em R$ 3.470,7 bilhões. De tal forma, o esforço fiscal de todos os Poderes ficou em R$ 2.267,0 bilhões. Nesta conta foram excluídos R$219 milhões em relação aos estados e municípios.