Arquivo/Agência Brasil

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social decidiu pela cobrança de multas às empresas que anteciparem o pagamento de financiamentos.

Motivado pela queda da taxa básica de juros nos dois últimos anos, o banco recebeu em 2018, 50 solicitações pré-pagamento, somando R$29,9 bilhões. Segundo o BNDES, a antecipação favorece o devedor e é desvantajosa ao banco pois causa a perda da receita financeira a longo prazo que foi projetada a juros mais altos.

“Dependendo da relação comercial que mantém com a empresa, o banco tem a prerrogativa de não cobrar multas. Mas também pode impor alguma taxa para aceitar o pré-pagamento, uma vez que teve custos e tomou riscos para fazer os empréstimos. É uma nova situação negocial”, diz Eliane Lustosa, diretora do BNDES.