A postura do governo brasileiro, de processar duas multinacionais do tabaco — British American Tobacco (BAT), Philip Morris e suas respectivas subsidiárias no país —, foi bem recebida pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A Advocacia-Geral da União (AGU) decidiu entrar com uma ação pelos bilhões gastos durante os últimos 5 anos com tratamentos de 26 doenças decorrentes do vício do cigarro ou de exposição a ele.

As empresas se limitaram a comentar que vão esperar detalhes do processo para se pronunciar.