Marcelo Camargo/Agência Brasil

O programa Minha Casa Minha Vida sofrerá alterações em suas regras, sobretudo no que tange as linhas destinadas a atender os mais pobres. A ideia do governo é enviar até julho um PL ao Congresso que altere a concessão dos imóveis aos beneficiários mais pobres, fazendo com que se tornem inquilinos à um preço simbólico, em vez de proprietários.

Segundo o ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, as alterações são para tentar evitar a comercialização irregular das casas do programa, que é a principal falha identificada pelo MDR.

“Você presta o serviço de moradia, coloca um valor de aluguel compatível com as condições familiares, mesmo que ele seja muito baixo, mas não será esse recurso que vai financiar o imóvel e manter a administração do condomínio”, afirmou Canuto.