Foto: Agência Brasil

Preso desde novembro de 2016 e condenado a penas que somam 198 anos, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral tenta reduzir o tempo que ficará atrás das grades lendo livros, fazendo cursos e até mesmo a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em petição endereçada à Vara de Execuções Penais (VEP) do Rio, em 15 de março deste ano, Cabral pediu uma redução de 234 dias de sua pena em razão das atividades realizadas.

De acordo com o documento apresentado pela defesa, Cabral fez três cursos, todos eles a distância, entre julho de 2017 e setembro de 2018. O ex-governador aprendeu jardinagem e paisagismo, agropecuária e espanhol. Os cursos de qualificação foram feitos por meio do Instituto Universal Brasileiro e, segundo a petição da defesa, tiveram uma carga horária total de 1.030 horas, o que equivale a menos 85 dias de pena.

A Lei de Execução Penal prevê que o preso diminua seu tempo de pena estudando ou trabalhando. A cada 12 horas de estudo, menos um dia do total de sua condenação. Já pela aprovação no Enem em 2017, a defesa de Cabral pede que haja uma diminuição de 133 dias de sua pena.